Pesquisar este blog

Instagram

domingo, 27 de julho de 2014

Saber o que pedir, saber o que buscar


Após a homilia desses dois últimos domingos e um pouco de reflexão, cheguei a conclusão dos belos planos de Deus para nossa relação com Ele e com o próximo. Domingo passado, vimos através de Paulo a necessidade de saber orar. Nesse domingo recebemos, caso não tenha ficado claro no outro domingo, o exemplo de como e/ou o que pedir. No primeiro, Paulo afirma que o Espírito entra em nosso ser e sabe do que queremos. No segundo, em sonho, Deus pergunta a Salomão o que ele deseja. Por sua parte, Salomão não foi superficial, pedindo fortuna ou saúde para viver longos anos, mas pediu o que aflingia em seu coração. No entanto, foi mais profundo ainda pelo fato de não ter pedido coisas concretas, digo, soluções prontas. Salomão foi sábio antes mesmo de pedir a sabedoria, pois ele não pediu a solução de seus problemas, mas sim a CAPACIDADE para solucioná-los. Esses dois domingos nos convidam a buscar a capacidade através do Espírito Santo, a capacitação para enfrentar o dia a dia e se fortalecer por Ele. Assim, será mais fácil no fim dos tempos ser o trigo da colheita ou o peixe bom da pesca.
Caros irmãos, acima foi dito uma das principais mensagens... Mas podemos ir além... Em Colossenses, Paulo nos pede para "buscar as coisas do alto", e nesse domingo Jesus nos fala do homem q larga tudo para ter o tesouro e do comprador que vende tudo para ter a pérola. O tesouro e a pérola são o reino dos céus. Após esse trecho recebemos o chamado para buscar o reino. Após isso Jesus fala sobre a seleção dos peixes bons e ruins pelos anjos... Ora, Ele já não havia dito a pouco (domingo passado para nós) do joio e do trigo? Para que repetir? Agora, Jesus nos traz uma intenção a mais. Entre as duas parábolas ele nos passa o ensinamento sobre o grão de mostarda (nas pequenas coisas podemos alcançar grandes), da mulher com o fermento (onde, colocando Deus nas nossas coisas, tudo se desenvolve) e nesse domingo sobre a necessidade de largar tudo para buscar a Deus, o reino dos céus. Dessa vez o traço entre ser bom ou ser ruim é mais profundo. Nos mostra que não basta ser peixe, não basta "ser" de Cristo, é necessário ser cristãos autênticos (como sempre lembra Papa Francisco), para na busca incessante encontrarmos as graças de Deus. Ora, pela graça de Deus o joio podia se tornar trigo ou até mesmo proteger o mesmo. O trigo por sua vez podia enfraquecer e morrer antes da colheita. Devemos ser insistentes na busca dos dons do Espírito como pérola ou tesouro para nos capacitar, nos permanecer na grande árvore da Igreja semeada como grão de mostarda, não separar do nosso dia a dia os afazeres de Deus e sim uní-los para que tudo cresça e desenvolva. 
Por fim, sejamos também como pescadores, não guardemos peixes ruins (aqui, os maus sentimentos)... Descarte-os, guarde somente o que é bom, o que vem de Deus.

Boa semana, paz e bem!

João Paulo Radd
Administrador Saber Católico

Nenhum comentário:

Compartilhe



Postagens populares

Google Plus


Google+
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...