Pesquisar este blog

domingo, 3 de março de 2019

Evangelho do dia 03/03/2019 - homilia

Anúncio do Evangelho (Lc 6,39-45)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 39Jesus contou uma parábola aos discípulos: “Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois num buraco?

40Um discípulo não é maior do que o mestre; todo discípulo bem formado será como o mestre.

41Por que vês o cisco que está no olho do teu irmão, e não percebes a trave que há no teu próprio olho?

42Como podes dizer a teu irmão: ‘Irmão, deixa-me tirar o cisco do teu olho’, quando não percebes a trave no teu próprio olho? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho, e então poderás enxergar bem para tirar o cisco do olho do teu irmão.

43Não existe árvore boa que dê frutos ruins, nem árvore ruim que dê frutos bons.44Toda árvore é reconhecida pelos seus frutos. Não se colhem figos de espinheiros, nem uvas de plantas espinhosas.

45O homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração. Mas o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro, pois sua boca fala do que o coração está cheio”.

- Palavra da Salvação
- Glória a vós Senhor

Homilia do dia 03/03/2019
Nós nos revelamos a partir daquilo que sai da nossa boca
Aquilo que sai da boca da pessoa em seu dia a dia, revela o que está no coração dela
“O homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração. Mas o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro, pois sua boca fala do que o coração está cheio” (Lucas 6,45).

No Evangelho de hoje, Jesus está dando muito conselhos aos seus discípulos por meio de parábolas. Ilustrando, sobretudo, que um cego não pode guiar outro cego, porque ambos cairiam em um buraco. 

Nós, muitas vezes, estamos cegos porque achamos que sabemos tudo. Então, nos falta aquela humildade necessária para saber que precisamos aprender com Deus aquilo que, de fato, devemos ser. Sendo assim, é essencial cuidar do coração, das coisas que temos dentro dele.

O Evangelho nos explica que o coração é como uma árvore. Uma árvore boa dá bons frutos e, é óbvio que, uma árvore estragada não dá bons frutos. Então, é essencial o cuidado com o nosso coração, para que os bons frutos possam ser colhidos, revelados e saboreados.

"O homem bom só pode tirar coisas boas do bom tesouro que é o seu coração"
A primeira leitura do Livro do Eclesiástico nos mostra que a virtude do homem se revela no seu falar. Não julgue quem é uma pessoa sem antes escutá-la. E, escutar aquilo que sai da boca dela, não é escutar o que ela fala como retórica, e sim o que fala em seu dia a dia. Porque aquilo que sai da boca da pessoa em seu dia a dia, revela o que está no coração dela. 

Ora, uma pessoa que só critica tudo, que vê mal em tudo, é sinal de que muita coisa está mal dentro dela mesma. Uma pessoa que vê tudo sob o olhar do azedume, da amargura, é porque o coração está com muita coisa azeda, amarga. Ora, de uma boca que o tempo todo só sai fofoca, só fala da vida dos outros, é sinal de que a pessoa não cuida da sua própria vida, não tem autocrítica e não se conhece.

Nós nos revelamos a partir daquilo que falamos. E até o nosso silêncio revela aquilo que somos. Então, não é só uma questão de cuidar da língua, porque a boca vai soltar aquilo que temos dentro do coração.

Como é importante cuidar daquilo que está dentro de nós! Muitas vezes, acumulamos ressentimentos, mágoas, rancores. Acumulamos decepções ora aqui, ora acolá; e isso vira dentro nós uma “massa”, um “bolo” perigoso. Às vezes, soltamos “fogo pela boca”, veneno, pimenta, coisas ardidas e negativas porque acumulamos tantas coisas erradas, maldosas, maliciosas e perniciosas dentro do nosso coração.

A Palavra de Deus, no dia de hoje, nos é enviada para ser purificação. Primeiro, da nossa alma e, depois, para nos dar prudência naquilo que escutamos e no que falamos. Nós nos revelamos a partir daquilo que sai da nossa boca.

Deus abençoe você!                                                

Pe. Roger Araújo

Nenhum comentário:

Postagens populares