Pesquisar este blog

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Sementes de Fé - 28/02/2019 - Perdão


"Quem sabe perdoar, prepara para si muitas graças da parte de Deus. Todas as vezes que olhar para o crucifixo, perdoarei sinceramente."
Santa Maria Faustina Kowalsha
"Louvado sejais, Senhor, por aqueles que perdoam por amor de Vós, e suportam as penas e as tribulações. Felizes aqueles que perseveram na paz; por Vós."
São Francisco de Assis


Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Evangelho do dia 28/02/2019 e Homilia



Evangelho (Mc 9,41-50)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 41"Quem vos der a beber um copo de água, porque sois de Cristo, não ficará sem receber a sua recompensa. 42E se alguém escandalizar um desses pequeninos que creem, melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço.

43Se tua mão te leva a pecar, corta-a! 44É melhor entrar na Vida sem uma das mãos, do que, tendo as duas, ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga. 45Se teu pé te leva a pecar, corta-o! 46É melhor entrar na Vida sem um dos pés, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno. 47Se teu olho te leva a pecar, arranca-o! É melhor entrar no Reino de Deus com um olho só, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno, 48'onde o verme deles não morre, e o fogo não se apaga'. 49Pois todos hão de ser salgados pelo fogo. 50Coisa boa é o sal. Mas se o sal se tornar insosso, com que lhe restituireis o tempero? Tende, pois, sal em vós mesmos e vivei em paz uns com os outros.


- Palavra da Salvação
- Glória a vós Senhor

Homilia do dia 28/02/2019
A paz nos coloca na presença de Deus e nos leva para Ele
Se não vivo a paz com os meus irmãos, não tenho o sabor de Deus em minha vida   
"(...) Tende, pois, sal em vós mesmos e vivei em paz uns com os outros" (Marcos 9,50).

No Evangelho de hoje, Jesus nos convida, em primeiro lugar, à prática da mortificação e da penitência. Mas não é a mortificação simplesmente para se mortificar, é para conceder sabor à nossa vida cristã. Não há vida cristã autêntica, sem a prática da penitência, sem revermos os nossos atos, atitudes; sem rever aquilo que fazemos e realizamos.

Muitas vezes, o nosso olhar não está focado. Então, olhemos! Direcionemos o nosso olhar. Muitas vezes, a nossa mão, o nosso corpo, os nossos pensamentos não fazem aquilo que é essencial, ou estão se perdendo.

Se a nossa mão nos leva a pecar; se ela se torna omissa; se a nossa mão se torna incontrolável usando controle remoto, computador, celulares, então, arranquemo-a. Vejo que, hoje, nos perdemos nas redes sociais o tempo inteiro, não conseguimos parar de teclar. Por vezes, nos perdemos no olhar, com aquela curiosidade mórbida, onde precisamos saber o que outro disse. É o tempo inteiro procurando nas redes sociais, simplesmente por curiosidade, e não podemos mais a conter.

Somos chamados a fazermos uma penitência, uma mortificação. Chamados a abrir mão daquilo que achamos que é essencial, porque não é essencial. Se nossos Smartphones (celulares) nos levas a pecar, fiquemos sem eles. É melhor entrar no Reino do Céu sem eles, do que termos dez celulares e irmos para o inferno.

Não nos deixemos perder neste mundo. Porque o que perdemos é o "sal", o sabor da vida cristã. Pois estamos muito cheios de coisas mundanas direcionando a nossa vida e nos tornamos insosso. E para que serve um sal que está insosso, sem sabor, sem gosto? Serve para ser jogado fora, porque não serve para mais nada. Não percamos o sentido, o significado e o sabor da nossa vida cristã.

Vivamos em paz com os irmãos
Por último, além de recuperar o sabor (retirando aquilo que tira o sabor nós), vivamos em paz uns com os outros. Falando mal um dos outros nas redes sociais; combatendo as pessoas, criando guerras; nos colocando uns contra os outros, disseminando discórdias, fazendo tantas coisas contrárias e, muitas vezes, em nome da fé, dessa forma, como é que viveremos em paz e a promoveremos?

Viver a paz é mais importante do que aquilo que acreditamos, do que as nossas convicções. A paz nos coloca na presença de Deus e nos leva para Ele. Podemos conhecer a todos os mistérios de Deus, mas se não vivemos a paz com os nossos irmãos, não temos o sabor de Deus em nossa vida.   

Deus abençoe você!  

Pe. Roger Araújo

As Chagas do Ombro de Jesus

Padre Pio, Bernardo de Claraval e a ferida no ombro de Cristo

Foram dois grandes santos em espírito de oração e dolorosamente dedicados a uma chaga da Paixão de Cristo



O que o místico medieval São Bernardo de Claraval e o moderno monge São Padre Pio têm em comum?

Bem, ambos são santos e compartilham a recompensa eterna que Deus preparou para eles. Mas, além disso, os dois tiveram uma devoção sincera a uma chaga de Cristo.

SÃO BERNARDO DE CLARAVAL, um abade francês e místico que ajudou a renovar a Ordem de Cister, no século 12, relatou uma conversa que tivera com o Senhor que ficou registrada nas Atas do convento de Claraval. Ele orou, perguntando a Jesus qual tinha sido o seu maior sofrimento não registrado pelos homens; e o Senhor lhe respondeu:

"Eu tinha uma ferida no ombro, em que havia carregado a Cruz, e esta ferida era mais dolorosa que as outras. Os homens não fazem menção dela, porque lhes é desconhecida. Honrai-a, pois, e Eu vos concederei tudo o que me pedirdes por sua virtude. Todos aqueles que a venerarem, obterão a remissão dos seus pecados veniais e graças eficazes para alcançar o perdão dos pecados mortais que tiverem cometido".

SÃO PIO DE PIETRELCINA, frade Capuchinho, padre e místico, morreu em 1968. Padre Pio era conhecido como um confessor e um homem santo que há mais de 50 anos manifestava as chagas de Cristo (os estigmas) em suas mãos e pés.

Em um livro publicado em língua italiana pelo convento de São Pio, intitulado Il Papa e Il Frate, o autor Stefano Campanella informou que o futuro São Pio tinha tido uma conversa muito interessante com Karol Wojtyla, o futuro Papa São João Paulo II.

De acordo com Campanella, Padre Wojtyla perguntou ao Padre Pio qual de seus ferimentos causou mais dor. Padre Wojtyla esperava que Padre Pio fosse dizer que era sua ferida no peito; mas em vez disso Padre Pio respondeu: "É o meu ferimento no ombro, que ninguém conhece e nunca foi curado ou tratado".

Em 2008, 40 anos após a morte de Padre Pio, o autor Frank Rega escreveu sobre Padre Pio:

Uma vez em Padra [sic] tinha confiado ao irmão Modestino Fucci,agora o porteiro no convento de Padre Pio em San Giovanni Rotondo, Itália, que suas maiores dores ocorreram quando ele mudou de veste. Irmão Modestino, como Padre Wojtyla, pensou que o Padre Pio estava se referindo às dores do ferimento no peito. Então, no dia 04 de fevereiro de 1971, foi atribuído ao irmão Modestino a tarefa de fazer um inventário de todos os itens do falecido padre na cela do convento, e também os seus pertences nos arquivos. Naquele dia, ele descobriu que em uma das vestes do Padre Pio tinha um círculo de mancha de sangue na área do ombro direito.

Nessa mesma noite, o irmão Modestino pediu em oração ao Padre Pio que esclarecesse sobre o significado da camisa manchada de sangue. Ele pediu ao Padre para dar-lhe um sinal se Cristo realmente teve um ferimento no ombro. Em seguida foi dormir, despertando 1 hora da manhã com uma terrível, angustiante dor em seu ombro, como se tivesse sido cortado com uma faca até o osso do seu ombro. Ele sentiu que iria morrer de dor se continuasse, mas durou apenas um curto período de tempo. Em seguida, a sala se encheu com o aroma de um perfume celestial de flores – o sinal da presença espiritual de Padre Pio – e ele ouviu uma voz dizendo: "Isso é o que eu tinha que sofrer!"


São Bernardo de Claraval, depois de receber a mensagem de Cristo sobre a dor que experimentou em seu ombro, procurou promover devoção ao ferimento no ombro de Cristo, e escreveu esta oração:

Oração à Chaga do ombro de Cristo

Ó bom Jesus, Senhor e Redentor meu, que carregastes a pesada Cruz de todos os pecados do mundo e também os meus, pelos méritos da Chaga e dor que tal Cruz rasgou no vosso Ombro, eu Vos peço, humildemente, o arrependimento e perdão de todas as minhas culpas e a graça de morrer sem pecado. E lembrando o auxílio que Vos deu Simão Cireneu, aliviando o peso da vossa Cruz, peço-Vos ainda, em virtude da Chaga do vosso Ombro, que foi a primeira e a mais escondida do vosso sacrifício redentor, que susciteis no mundo muitas almas vítimas, a continuarem nelas a vossa Paixão e, pela generosidade do seu holocausto, suportado com amor heróico, resgatem muitos pecadores, salvem muitos moribundos, e atraiam sobre a Terra uma chuva de Caridade e Pureza. Amém.

Oração as Chagas do Ombro de Jesus

Perguntando São Bernardo ao divino Redentor, qual era a dor que sofrera mais, e desconhecida dos homens: Jesus lhe respondeu:
"Eu tinha uma chaga profundíssima no ombro sobre o qual carreguei minha pesada cruz: essa chaga era mais dolorosa que as outras. Os homens não fazem dela menção, porque não a conhecem.
Honra pois, essa chaga a farei TUDO o que por ela me pedires".

Oração
Ó amante Jesus, manso cordeiro de Deus, apesar de ser eu uma criatura miserável e pecadora vos adoro e venero a chaga causada pelo peso de vossa cruz, que dilacerando vossas carnes, desnudou os ossos de vossos Ombros Sagrados e da qual vossa Mãe dolorosa tanto se compadeceu. Também eu, ó altíssimo Jesus, me compadeço de vós e do fundo do meu coração vos louvo, vos glorifico, vos agradeço por essa chaga dolorosa de vosso Ombro em que quisestes carregar vossa Cruz por minha salvação.
Ah! pelos sofrimentos que padecestes e que aumentaram o enorme peso de vossa Crus vos rogo com muita humildade: tende piedade de mim, pobre criatura pecadora, perdoai os meus pecados e conduzi-me ao céu pelo caminho da Cruz.
Indulgência de 300 dias cada vez "Ó dulcíssimo Jesus, não sejais meu juiz, mas meu Salvador"(Indulgência de 100 dias cada vez).

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Há graça fora da Igreja? (Homilia Diária.1094: Quarta-feira da 7.ª Semana do Tempo Comum)


Os cristãos sempre pregaram e nunca de deixarão de pregar, por ser esta uma verdade de fé, que fora da Igreja ninguém pode se salvar, já que o próprio Salvador quis que a sua única Igreja, Católica e Apostólica, fosse sacramento universal de salvação, sem o qual não é possível entrar no Reino celeste. Mas isso não significa que a ação salvífica de Deus esteja limitada, necessariamente, à contextura visível da Igreja e aos meios que Ele mesmo instituiu para a nossa santificação, pois o seu poder alcança de um extremo a outro da terra, atraindo para a comunhão gloriosíssima do Corpo de Cristo pessoas de todas as raças e nações, tiradas da sombra do erro e trazidas à luz da verdade. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quarta-feira, dia 27 de fevereiro, e rezemos para que a graça divina, assim como nos alcançou a nós, alcance também a quantos se encontram longe do redil de Nosso Senhor, onde abundam tantas e tão grandes graças e auxílios celestes!


terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

sábado, 23 de fevereiro de 2019

Papa Francisco pede respeito na oração: Não se pode rezar como papagaios


Segundo o ACI (20/02/2019), durante a Audiência Geral desta quarta-feira, 20 de fevereiro, o Papa Francisco advertiu que, durante a oração, “não se pode rezar como papagaios” e destacou que “ou se entra no mistério, na consciência de que Deus é seu Pai, ou não reze”.

O Papa destacou o mistério da oração do Pai-Nosso e recordou que “o primeiro passo de toda oração cristã é entrar em um mistério: o da paternidade de Deus”.

“Para entender em que medida Deus é nosso pai, devemos pensar na figura de nossos pais, mas, na medida do possível, devemos refiná-la, purificá-la”. Neste ponto, observou que “nenhum de nós teve pais perfeitos, assim como nunca seremos pais ou pastores perfeitos”.

Afirmou que “vivemos nossas relações de amor sempre sob o signo de nossos limites e também de nosso egoísmo, motivo pelo qual, são frequentemente poluídas por desejos de posse ou manipulação do outro”. Assim, “às vezes, as declarações de amor são transformadas em sentimentos de raiva e hostilidade”.

Por esta razão, “quando falamos de Deus como ‘pai’, pensando na imagem de nossos pais, especialmente se eles realmente nos amaram, devemos ir além”. “Os homens e as mulheres são eternamente mendigos de amor – somos mendigos de amor, temos necessidade de amor – procurando um lugar onde serem finalmente amados, mas não o encontram. Quantas amizades e quantos amores desiludidos existem no nosso mundo, quantos!”.

Também chamou a atenção para a ambivalência do amor humano, “capaz de florescer e viver forte em um momento do dia e imediatamente após, murchar e morrer”.

Muitas vezes, “nosso amor é uma promessa que se esforça para permanecer, uma tentativa que logo seca e evapora, um pouco como quando o sol sai de manhã e faz desaparecer o orvalho da noite”.

“Quantas vezes nós, homens, amamos desta maneira tão fraca e intermitente. Todos temos esta experiência. Acabou aquele amor ou ficou muito fraco. Todos nós temos esta experiência. Desejosos de querer bem, nos deparamos com nossos limites, com a pobreza de nossas forças: incapazes de manter uma promessa que nos dias de graça parecia fácil de cumprir”.

Contudo, “existe outro amor, aquele do Pai que está nos céus. Ninguém deve duvidar de ser destinatário desse amor. Ele nos ama, ‘Ele me ama’, poderíamos dizer. Ainda que nosso pai e nossa mãe – uma hipótese histórica – não tivessem nos amado, existe um Deus no céu que nos ama como ninguém na terra jamais o fez ou poderia fazê-lo. O amor de Deus é constante, sempre!”.

“Portanto – concluiu o Papa Francisco sua catequese – não tenha medo! Nenhum de nós está sozinho. E mesmo que por infelicidade teu pai terreno tenha se esquecido de ti, e ficaste ressentido com ele, não te é negada a experiência fundamental da fé cristã: a de saber que tu és filho muito amado de Deus”.


Sementes de Fé - Liturgia da Santa Missa - Procissão das Ofertas

"O povo de Deus que leva a oferta, o pão e o vinho, a grande oferta para a Missa!"
Papa Francisco


Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Festa da Cátedra de São Pedro

Cristo escolheu São Pedro para ser o primeiro Papa da Igreja e o capacitou pelo Espírito Santo

É com alegria que hoje nós queremos conhecer um pouco mais a riqueza do significado da cátedra, do assento, da cadeira de São Pedro que se encontra na Itália, no Vaticano, na Basílica de São Pedro. Embora a Sé Episcopal seja na Basílica de São João de Latrão, a catedral de todas as catedrais, a cátedra com toda a sua riqueza, todo seu simbolismo se encontra na Basílica de São Pedro.
Fundamenta-se na Sagrada Escritura a autoridade do nosso Papa: encontramos no Evangelho de São Mateus no capítulo 6, essa pergunta que Jesus fez aos apóstolos e continua a fazer a cada um de nós: “E vós, quem dizei que eu sou?” São Pedro,0 em nome dos apóstolos, pode assim afirmar: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Jesus então lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi nem a carne, nem o sangue que te revelou isso, mas meu Pai que está no céus, e eu te declaro: Tu és Pedro e sobre essa pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; eu te darei a chave dos céus tudo que será ligado na terra serás ligado no céu e tudo que desligares na terra, serás desligado nos céus”.
Logo, o fundador e o fundamento, Nosso Senhor Jesus Cristo, o Crucificado que ressuscitou, a Verdade encarnada, foi Ele quem escolheu São Pedro para ser o primeiro Papa da Igreja e o capacitou pelo Espírito Santo com o carisma chamado da infalibilidade. Esse carisma bebe da realidade da própria Igreja porque a Igreja é infalível, uma vez que a alma da Igreja é o Espírito Santo, Espírito da verdade.
Enfim, em matéria de fé e de moral a Igreja é infalível e o Papa portando esse carisma da infalibilidade ensina a verdade fundamentada na Sagrada Escritura, na Sagrada Tradição e a serviço como Pastor e Mestre.
De fato, o Papa está a serviço da Verdade, por isso, ao venerarmos e reconhecermos o valor da Cátedra de São Pedro, nós temos que olhar para esses fundamentos todos. Não é autoritarismo, é autoridade que vem do Alto, é referência no mundo onde o relativismo está crescendo, onde muitos não sabem mais onde está a Verdade.
Nós olhamos para Cristo, para a Sagrada Escritura, para São Pedro, para este Pastor e Mestre universal da Igreja, então temos a segurança que Deus quer nos dar para alcançarmos a Salvação e espalharmos a Salvação.
Essa vocação é do Papa, dos Bispos, dos Presbíteros, mas também de todo cristão.
São Pedro, rogai por nós!

domingo, 17 de fevereiro de 2019

Sementes de fé - Sagrada Escritura - 17/02/2019

"Conserve sempre sua confiança. É impossível que Deus não corresponda, pois Ele mede sempre seus dons pela nossa confiança." Santa Teresinha do Menino Jesus

Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Papa Francisco propõe estas perguntas para um bom exame de consciência

por ACI Digital

https://www.acidigital.com/noticias/papa-francisco-propoe-estas-perguntas-para-um-bom-exame-de-consciencia-65501


Papa Francisco se confessando durante a Jornada “24 horas para o Senhor” em 2014/ Foto: L'Osservatore Romano

REDAÇÃO CENTRAL, 10 Fev. 18 / 08:00 am (ACI).- Na Quaresma de 2015, o Papa Francisco deu aos fiéis presentes na Praça de São Pedro um pequeno livro especial intitulado “Guarde o Coração”, entregue por vários indigentes de Roma, o qual sugere uma série de recursos importantes para o caminho de conversão até a Semana Santa.
Entre os diferentes recursos propostos pelo Santo Padre, há um exame de consciência de 30 perguntas para fazer uma boa confissão, assim como uma breve explicação das razões para receber este sacramento.
Este recurso tem um significado especial ao aproximar-se o tempo de Quaresma e a realização da Jornada “24 Horas para o Senhor” nos dias 9 e 10 de março, para que os católicos, especialmente os que estão mais afastados da Igreja, se reconciliem com Deus durante a preparação para a Páscoa.
Diante da pergunta, por que confessar-se?, o livrinho responde: “Porque somos pecadores! Ou seja, pensamos e agimos de modo contrário ao Evangelho. Quem diz que não tem pecado, ou é mentiroso ou é cego. No Sacramento, Deus perdoa sempre os filhos que, tendo contradito a sua identidade, confessam as suas misérias e ao mesmo tempo a sua misericórdia”.
Para confessar-se, continua o texto, é necessário começar “escutando a voz de Deus” e prosseguir com o “exame de consciência, o arrependimento, a confissão dos pecados ao sacerdote, o propósito de satisfação, a invocação da misericórdia divina ministrada mediante a absolvição, o louvor pelo perdão recebido, a vida renovada”.
Exame de consciência
A seguir, apresentamos as 30 perguntas propostas pelo Papa Francisco para fazer uma boa confissão:
Em relação a Deus
Dirijo-me a Deus somente em caso de necessidade? Participo na Missa dominical e nos dias de preceito? Começo e termino o meu dia com a oração? Invoquei em vão o nome de Deus, de Maria e dos Santos? Envergonho-me de me apresentar como cristão? O que faço para crescer espiritualmente, como e quando o faço? Revolto-me diante dos desígnios de Deus? Pretendo que seja Ele a cumprir a minha vontade?
Em relação ao próximo
Sei perdoar, partilhar, ajudar o próximo? Julgo sem piedade, tanto em pensamento quando com palavras? Caluniei, roubei, desprezei os mais pequenos e indefesos? Sou invejoso, colérico, parcial? Tomo conta dos pobres e dos doentes? Envergonho-me da carne do meu irmão ou da minha irmã?
Sou honesto e justo com todos ou alimento a "cultura do descartável"? Instiguei os outros a fazer o mal? Observo a moral conjugal e familiar que o Evangelho ensina? Como vivo as responsabilidades educativas para com os meus filhos? Honro e respeito os meus pais? Rejeitei a vida após a concepção? Desperdicei o dom da vida? Ajudei a fazê-lo? Respeito o ambiente?
Em relação a mim mesmo
Sou um pouco mundano e pouco crente? Exagero em comer, beber, fumar e divertir-me? Preocupo-me em excesso com a saúde física, com os meus bens? Como uso o meu tempo? Sou preguiçoso? Procuro ser servido? Amo e cultivo a pureza de coração, de pensamentos e de ações? Nutro vinganças, alimento rancores? Sou manso, humilde, construtor de paz?





Como Rezar O Terço Da Libertação?


por Danilo Gesualdo

“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.”
Tenho me encontrado com diversas situações de pessoas pedindo ajuda devido aos seus sofrimentos. Muitos destes sofrimentos são espirituais, marcados também por doenças, por problemas familiares e etc…
A verdade é que muitas vezes não é possível fazer nada que lhes possa aliviar as difíceis situações que estão  passando, a não ser lhes aconselhar a se apegarem a Jesus Cristo por meio da Oração, pois Ele sim pode resolver tudo o que hoje traz sofrimentos á estas pessoas, e ajudar a cada uma delas a supera – los.
Ainda que as pessoas não encontrem respostas ou soluções para os seus problemas de imediato, certamente Jesus lhes dará a paciência e a capacidade de suporta – los, até que a Providencia Divina os ajude a vencer estes sofrimentos…
Tenho entendido que as vezes as pessoas não conseguem cultivar por si mesmas uma vida de oração, ainda que saibam que é necessário. Não conseguem rezar, ler a Palavra, ir a Missa, rezar o terço etc…Ainda que saibam que é necessário, não conseguem reagir…
Mas nestes casos o mais importante é criar um ritmo de Vida de oração, para que em Deus possam viver estes sofrimentos…Por isso tenho percebido, e não é de hoje, a eficácia do Terço da Libertação na vida das pessoas que precisam criar um ritmo de vida de Oração, e ao mesmo tempo receberem graças espirituais como curas e libertações…
Quando muito jovem, eu me lembro que por muitas vezes eu rezava o Terço da Libertação, por mim e pelas pessoas que me pediam oração. Ele é uma ótima oração de intercessão. E por ser fácil de rezar e não demorar, eu rezava diversos terços num único dia.
É um Terço todo baseado na Palavra de Deus, o que certamente o torna eficaz e poderoso. Neste Terço você repete por 206 vezes o poderoso Nome de Jesus, e por isso há tantos testemunhos de Curas e Libertações recebidas através dele.
Pois a Palavra de Deus nos afirma:
Todo o que invocar o nome do Senhor será salvo (Rom 10,13).
Em nenhum outro (Nome) há salvação…” (At 4,12).
E ainda:
Por isso Deus o exaltou soberanamente e lhe outorgou o nome que está acima de todos os nomes, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos.” (Fl 2, 10)
Por isso recomendo a você que sempre reze essa Oração, certamente colherá grandes graças para a sua vida. Este Terço te ajudará a criar ritmo de Oração pessoal, fazendo que em pouco tempo você também consiga rezar mais espontaneamente, ajudará a você rezar o Rosario, Ler e meditar a Palavra de Deus e assim por diante…
Comece por ele, não tenha receios…Ele é eficaz porque nele esta a Palavra de Deus e o Santo Nome de Jesus.
Abaixo uma breve explicação de como reza – lo:


ÍNICIO – Creio em Deus Pai
NAS CONTAS GRANDES:
Se Jesus me libertar, serei verdadeiramente livre!
ou
Se Jesus nos libertar, nós seremos verdadeiramente livres!
– Se a oração for para outra pessoa diga:
Se Jesus libertar “nome da pessoa”, ele/ela será verdadeiramente livre!


NAS CONTAS MENORES:
Jesus tem piedade de mim!
Jesus cura-me!
Jesus salva-me!
Jesus liberta-me!
ou
Jesus tem piedade de nós!
Jesus cura-nos!
Jesus salva-nos!
Jesus liberta-nos!
– Se a oração for para outra pessoa diga:
Jesus tende piedade de “nome da pessoa”!
Jesus cura “nome da pessoa”!
Jesus salva “nome da pessoa”!
Jesus liberta “nome da pessoa”!
FINAL – Salve Rainha
Espero que você possa me escrever contando o seu testemunho!
 Deus abençoe você!

O que pode nos fazer realmente felizes - homilia Domingo 17/02/2019


Sementes de Fé - A Liturgia Eucarística


"Na Liturgia Eucaristia, através dos sinais sagrados, a Igreja torna continuamente presente o Sacrifício da nova alianca, selada por Jesus no altar da Cruz."
Papa Francisco



Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Como rezar o terço Maria passa na frente

por Pedro Teixeira



Como rezar o terço Maria passa na frente
O terço Maria passa na frente é um dos mais conhecidos e poderosos, dificilmente você nunca terá ouvido falar sobre ele. Este é um terço muito bem falado, principalmente por ganhar as causas mais difíceis.
Quem já rezou sabe que é questão de tempo para os caminhos se abrirem, não importa qual seja o problema. Basta buscar por Maria com o coração aberto e cheio de fé, o resultado vem em seguida.
Ainda que seja um terço muito famoso, não é lá muito simples de se rezar. Dessa maneira, é importante haverem artigos simplificados, que de fato ensinem a rezar. Continue lendo e aprenda a como rezar o terço Maria passa na frente.
Como se reza o terço?
Talvez não seja lá muito fácil de se entender tudo no começo, mas com um pouco de atenção isso certamente será possível. Para que possamos começar, é necessário entender a estrutura do terço em si.
A parte mais importante do terço é a sua cruz, e depois dela existem várias bolinhas que compõem o colar que a sustentam. Essas bolinhas são alternadas entre maiores e menores, e de acordo com isso é feita a reza.
Essa é uma reza muito poderosa, e consequentemente muito longa. Se você a fizer de modo errado, não surtirá efeito. Busque fazer em um momento tranquilo do seu dia, onde nada venha a tirar a sua concentração.
Para que tudo fique mais simples, irei dividir a reza em partes.

A cruz: A cruz é o elemento principal do terço, o mais importante. Justamente por isso, é ali que se começa a reza. Você deve segurar a cruz em suas mãos, bem firme para iniciar a reza do terço.
Depois de ter em mãos o terço e já estar em plena concentração, você deverá fazer a oração “creio em Deus pai”:
“Creio em um só Deus,
Pai todo-poderoso,
Criador do céu e da terra
De todas as coisas visíveis e invisíveis.
Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigênito de Deus,
nascido do Pai antes de todos os séculos:
Deus de Deus, Luz da Luz,
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro.
Gerado, não criado, consubstancial ao Pai.
Por Ele todas as coisas foram feitas,
E por nós, homens, e para nossa salvação desceu dos céus
E encarnou pelo Espírito Santo,
no seio da Virgem Maria,
e Se fez homem.
Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos,
padeceu e foi sepultado.
Ressuscitou ao terceiro dia,
conforme as Escrituras,
e subiu aos céus,
onde está sentado à direita do Pai.
De novo há-de vir em sua glória,
para julgar os vivos e os mortos,
e o seu reino não terá fim.
Creio no Espírito Santo,
Senhor que dá a vida,
e procede do Pai e do Filho,
e com o Pai e o Filho
é adorado e glorificado:
Ele que falou pelos Profetas.
Creio na Igreja una, santa,
católica e apostólica.
Professo um só batismo
Para remissão dos pecados.
E espero a ressurreição dos mortos,
e vida do mundo que há-de vir.
Ámen.”
Essa oração deve ser feita somente uma vez, já que existe somente uma cruz no terço. Faça com muita fé, com muita concentração e sem dúvidas. Lembre-se de que esse é um ponto bastante importante da reza.
Enquanto estiver orando, não solte o terço em momento algum. Você deve emanar força nessa oração, segurando muito firme a cruz.
Você pode tanto falar a oração, quanto só pensar nela em silêncio. Uma opção interessante também é gravar a sua própria voz lendo a oração e escutar enquanto faz as etapas do terço maria passa na frente.
O importante mesmo deste começo é que você esteja completamente concentrado(a), sem distrações. Este é o começo, então é crucial que você não perca o fio da meada ali.
Primeira conta: Depois de já ter orado o credo, você deve reparar que, depois da cruz, existe uma bolinha grande. Para continuar a reza você deve segurar essa bolinha com os seus dedos bem forte e rezar um Pai nosso.
Você pode rezar qual versão do pai nosso você preferir, mas para essa reza normalmente se utiliza o tradicional, mais conhecido.
Três pequenas contas: Depois da conta maior, existem três pequenas contas. Nestas três pequenas contas você deve fazer o mesmo: segurar com força entre os seus dedos com muita fé e concentração.
Para essas três continhas você deverá rezar três Ave Maria: uma por cada conta. Segure a primeira, reze uma vez. Segure a segunda, reze outra vez. Segure a terceira e finalize rezando pela última vez.
Ore com toda a sua força, depositando ali toda a sua fé, de modo que você sinta a sua energia fluindo. As orações mais tradicionais são também as mais poderosas, nunca se esqueça disso!
Conta grande: Essa é a última conta da parte que sustenta a cruz pendurada: uma conta maior, assim como a primeira onde você já rezou o credo lá no início.
Nessa você deverá tornar a rezar o pai nosso, normalmente, sem nada demais. Ore com muita fé, com a mesma intensidade do início, isso faz toda a diferença em uma reza ou oração.
Colar do terço: Essa parte é considerada a mais difícil de se entender, mas também não é nada demais. Depois que você compreende, fica quase automático de se rezar.
Essa parte do colar do terço é composto também por bolinhas pequenas e bolinhas grandes. Dez bolinhas pequenas, uma grande, até chegar ao final dessas contas.
Contas grandes: Toda vez quando você for rezar uma conta grande, você deverá segurá-la bem forte, e como no início colocar toda a sua energia bem ali.
Em cada conta grande você deve realizar essa oração:
“Lembrai-vos, ó Piíssima Virgem Maria,
de que nunca se ouviu dizer, que algum daqueles que tenha recorrido à vossa clemência,
implorado a vossa assistência, reclamado o vosso socorro, fosse por vós abandonado.
Animado eu, pois, com igual confiança, a vós, Virgem das Virgens, como Mãe recorro,
de vós me valho e gemendo sob o peso de meus pecados, me prostro a vossos pés.
Não desprezeis as minhas súplicas, ó Mãe do Verbo de Deus humanado,
mas dignai-vos de as ouvir propícia e de me alcançar o que vos rogo.
Amém.”
Você deve orar exatamente igual em cada uma das contas grandes, sem tirar nem por. É bem simples, existem bem menos contas grandes do que pequenas, então não será nada muito trabalhoso.
Você deve orar com concentração, se você por acaso se perder durante a oração, recomece do zero. Se programe para rezar em um horário sem distrações, essa parte é um tanto quanto longa e exige uma certa disponibilidade de tempo.
10 primeiras pequenas contas: Existem nesse colar conjuntos de dez continhas, onde para cada dez haverá uma oração diferente, que deve ser repetida conta por conta.
Em todas as contas você deverá fazer como de costume: segurar com firmeza e fazer a oração com bastante fé e força, sem dúvidas.
Para essas dez primeiras continhas você deverá fazer a seguinte oração:
Maria passa na frente e vai abrindo caminhos Abrindo portas e portões Abrindo casas e corações”
É bem curta, então demorará muito menos do que você deve estar imaginando.  A reza do terço na verdade é bem rápida depois que você pega o jeito de como se faz.

10 Segundas pequenas contas: Repita o processo anterior, do mesmo jeito, trocando somente a oração por essa:
A Mãe indo à frente seus filhos estarão protegidos.
E seguem teus passos, ela os leva sob tua proteção.
Maria passa na frente, resolve aquilo que somos incapazes de resolver.
Mãe cuida de tudo que não esta ao nosso alcance.
Tu tens poderes para isso”
Essa oração é um pouco maior do que a anterior, mas ainda assim é bem pequena em relação à maioria das orações. Termine com muita fé, reze a bolinha grande e parta para o próximo conjunto de contas.

10 Terceiras pequenas contas: O processo será exatamente o mesmo das últimas vezes, segure uma bolinha de cada vez e faça a oração com muita fé.
Para esse terceiro conjunto de bolinhas, você deverá fazer a seguinte oração:
Vai mãe, acalmando, serenando e amansando os corações.
Vai acabando com ódio, rancores, mágoas e maldições.
Vai terminando com dificuldades, tristezas e tentações.
Vai tirando teus filhos das perdições.”
Finalizando essa pequena oração, reze a próxima bolinha grande e parta para o último conjunto de contas.
10 últimas pequenas contas: Esta é a última dezena de continhas, se você já chegou até aqui, meus parabéns, agora falta muito pouco para que você termine a reza do terço Maria passa na frente!
As últimas bolinhas devem ser rezadas exatamente da mesma maneira que todas as outras, segurando uma bolinha por vez e orando com fé a seguinte oração:
Maria passa na frente e cuida de todos os detalhes.
Cuida, proteja e ajuda a todos os teus filhos.
Maria, tu és mãe e eu te peço, passa na frente.
Vai conduzindo, levando, ajudando e curando os filhos que precisam de ti.”
Depois dessa oração terminada, você já terá acabado a parte mais difícil do terço, bastará finalizar com a reza do Salve Rainha.
Salve rainha
Agora você já está terminando de rezar todo o terço, falta somente mais um pouquinho para que você finalmente termine essa poderosa reza.
Se concentre, tenha em mente que a finalização é uma etapa tão importante quanto o resto de toda a oração. O Salve rainha é uma linda oração, transforme a reza do seu terço em um momento de conexão com a espiritualidade.
Segure bem o terço, com firmeza e ore:
“Ó bela flor do Carmelo, fecundíssima videira, esplendor dos céus, santa e única.
Que trouxeste no ventre o Filho de Deus, mas permaneceste sempre virgem pura.
Ajuda-nos em nossas necessidades, ó estrela do mar, socorre-me e mostra-me que és minha mãe.”
Agora está finalizado o terço, agradeça a nossa senhora termine a reza. Você pode simplesmente agradecer e ficar em silêncio até se sentir confortável para ir fazer outra coisa e finalizar o terço.

Essa reza é muito poderosa, já ajudou a muitas pessoas e inúmeras causas diferentes. Jamais subestime o poder deste tipo de oração, simplesmente realize do jeito certo e aguarde pelo seu resultado.
Não se deixe perder o foco durante a reza, essa é uma das causas mais comuns pela não realização dos desejos dos fiéis. Lembre-se: a sua fé e confiança na oração são o combustível para que ela funcione.
Pronto! Agora você já sabe como rezar o terço Maria passa na frente, é só realizar a reza até isso se tornar uma prática tão comum quanto qualquer outra. Boa sorte com os seus resultados!

Pedro Teixeira

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...